PROGNÓSTICOS E CUIDADOS NUTRICIONAIS DA DOENÇA CELÍACA

como melhorar os prognósticos e cuidados da condição celíaca

A doença celíaca é uma condição autoimune que afeta o intestino delgado e impede a absorção adequada de nutrientes. Ela é causada pela reação do sistema imunológico ao glúten, uma proteína presente em cereais como trigo, cevada e centeio. O único tratamento eficaz para a doença celíaca é seguir uma dieta sem glúten por toda a vida. Mas como fazer isso de forma saudável e equilibrada? Neste artigo, vamos explicar os principais aspectos da dieta sem glúten, seus benefícios, desafios e recomendações para os pacientes com doença celíaca. Acompanhe!

DOENÇA CELÍACA

O glúten é uma proteína que confere elasticidade e maciez aos alimentos, sendo muito utilizado na indústria alimentícia. No entanto, para algumas pessoas, o glúten pode ser um grande vilão. É o caso dos pacientes com doença celíaca, que sofrem com inflamação, dor, diarreia, anemia, perda de peso e outros sintomas quando ingerem alimentos com glúten. A doença celíaca é uma condição crônica e incurável, que pode levar a complicações graves se não for tratada adequadamente. Por isso, a dieta sem glúten é essencial para controlar a doença e melhorar a qualidade de vida dos pacientes.

O QUE É IMPORTANTE SABER

Mas o que é a dieta sem glúten? Como ela funciona? Quais são os alimentos permitidos e proibidos? Quais são os benefícios e os desafios de seguir essa dieta? Como garantir uma alimentação saudável e equilibrada sem glúten? Essas são algumas das perguntas que vamos responder neste artigo. Continue lendo e saiba mais!

O que é a dieta sem glúten?

A dieta sem glúten é aquela que exclui totalmente o glúten da alimentação. O glúten é uma proteína encontrada em cereais como trigo, cevada, centeio e seus derivados, como farinha, pão, macarrão, biscoito, bolacha, bolo, cerveja, etc. Além disso, o glúten também pode estar presente em alimentos industrializados que usam esses cereais como ingredientes ou aditivos, como molhos, temperos, sopas, salgadinhos, etc.

A dieta sem glúten é indicada para as pessoas que têm intolerância ou alergia ao glúten, como os pacientes com doença celíaca ou com sensibilidade não celíaca ao glúten. Essas pessoas apresentam uma reação adversa do sistema imunológico ao ingerir o glúten, causando inflamação e danos ao intestino delgado. Isso prejudica a absorção de nutrientes e pode provocar diversos sintomas gastrointestinais e extraintestinais.

A dieta sem glúten visa eliminar o agente causador da reação imunológica e permitir a recuperação do intestino. Dessa forma, ela ajuda a aliviar os sintomas, prevenir as complicações e melhorar o bem-estar dos pacientes.

Quais são os benefícios da dieta sem glúten?

A dieta sem glúten traz vários benefícios para os pacientes com doença celíaca ou com sensibilidade não celíaca ao glúten. Veja alguns deles:

  • Reduz a inflamação intestinal e melhora a absorção de nutrientes;
  • Alivia os sintomas gastrointestinais, como dor abdominal, diarreia, constipação, gases, distensão abdominal, etc.;
  • Alivia os sintomas extraintestinais, como anemia, fadiga, perda de peso, osteoporose, depressão, infertilidade, etc.;
  • Previne as complicações da doença celíaca, como úlceras intestinais, linfoma intestinal, câncer de intestino, doenças autoimunes, etc.;
  • Melhora a qualidade de vida e a autoestima dos pacientes;
  • Estimula o consumo de alimentos naturais e saudáveis, como frutas, verduras, legumes, carnes, ovos, leite, etc.

Quais são os desafios da dieta sem glúten?

A dieta sem glúten também apresenta alguns desafios para os pacientes. Veja alguns deles:

  • Dificuldade de encontrar alimentos sem glúten no mercado ou em restaurantes;
  • Risco de contaminação cruzada por glúten em utensílios, embalagens ou preparações compartilhadas;
  • Necessidade de ler os rótulos dos alimentos com atenção e verificar a presença de glúten ou de traços de glúten;
  • Restrição de opções alimentares e sociais, podendo gerar isolamento ou frustração;
  • Possibilidade de deficiências nutricionais, como de ferro, cálcio, vitamina D, ácido fólico, etc., se a dieta não for bem planejada e balanceada;
  • Custo elevado de alguns produtos sem glúten, como pães, massas, bolos, etc.

Como seguir uma dieta sem glúten saudável e equilibrada?

Para seguir uma dieta sem glúten saudável e equilibrada, é importante ter alguns cuidados. Veja algumas dicas:

Consulte um nutricionista

Peça que elabore um plano alimentar adequado às suas necessidades e preferências;

Consuma alimentos naturais e variados,

Frutas, verduras, legumes, carnes, ovos, leite e derivados, oleaginosas, sementes, etc.;

Evite alimentos industrializados e processados

Identifique os possam conter glúten ou traços de glúten, como molhos, temperos, sopas, salgadinhos, etc.;

Prefira cereais sem glúten,

Arroz, milho, quinoa, amaranto, aveia sem glúten (certificada), etc.;

Utilize farinhas sem glúten

Para fazer pães, massas, bolos, etc., como farinha de arroz, farinha de milho, farinha de mandioca, fécula de batata, polvilho doce ou azedo, etc.;

Use produtos sem glúten certificados

Siga comunidades e associações e fique atento aos selos da Associação dos Celíacos do Brasil (ACELBRA);

Evite a contaminação cruzada por glúten

em utensílios, embalagens ou preparações compartilhadas. Lave bem as mãos e as superfícies antes de manipular os alimentos. Separe os alimentos com e sem glúten em armários ou geladeiras diferentes. Use panelas e talheres exclusivos para os alimentos sem glúten.

não faça

Fritar os alimentos sem glúten no mesmo óleo que foi usado para fritar os alimentos com glúten.

Usar o mesmo pote de manteiga ou geleia para passar no pão com e sem glúten.

Usar o mesmo forno ou microondas para assar ou aquecer os alimentos com e sem glúten;

Leia os rótulos dos alimentos com atenção

Verifique a presença de glúten ou de traços de glúten. Alguns ingredientes que podem indicar a presença de glúten são: trigo (e seus derivados como farinha de trigo enriquecida com ferro e ácido fólico), cevada (e seus derivados como malte), centeio (e seus derivados como farinha de centeio), aveia (a não ser que seja certificada sem glúten), amido modificado (a não ser que especifique a fonte), proteína vegetal hidrolisada (a não ser que especifique a fonte), extrato de malte (a não ser que especifique a fonte), xarope de malte (a não ser que especifique a fonte), etc. Além disso, fique atento aos alertas como “contém glúten”, “pode conter traços de glúten” ou “não contém glúten”;

Mantenha uma alimentação balanceada

e rica em nutrientes que podem estar deficientes na dieta sem glúten. Por exemplo: consuma alimentos ricos em ferro (como carnes vermelhas magras, fígado, feijão, lentilha, etc.), alimentos ricos em cálcio (como leite e derivados, sardinha, brócolis, couve, etc.), alimentos ricos em vitamina D (como peixes gordos, gema de ovo, cogumelos, etc.), alimentos ricos em ácido fólico (como folhas verdes escuras, fígado, laranja, abacate, etc.), etc. Se necessário, use suplementos ou probióticos sob orientação médica ou nutricional;

Não se isole ou se frustre por seguir uma dieta sem glúten.

Busque apoio de familiares, amigos e grupos de celíacos. Aproveite as opções de alimentos sem glúten disponíveis no mercado ou em restaurantes. Experimente receitas novas e saborosas sem glúten. Lembre-se que a dieta sem glúten é um cuidado com a sua saúde e não um castigo.

Perguntas frequentes

O que é a doença celíaca?

A doença celíaca é uma condição autoimune que afeta o intestino delgado e impede a absorção adequada de nutrientes. Ela é causada pela reação do sistema imunológico ao glúten, uma proteína presente em cereais como trigo, cevada e centeio.

Quais são os sintomas da doença celíaca?

Os sintomas da doença celíaca podem variar de pessoa para pessoa e de acordo com a idade. Os mais comuns são: dor abdominal, diarreia, constipação, gases, distensão abdominal, perda de peso, anemia, fadiga, osteoporose, depressão, infertilidade, etc.

Como é feito o diagnóstico da doença celíaca?

O diagnóstico da doença celíaca é feito por meio de exames de sangue que detectam os anticorpos específicos contra o glúten. Contudo, pode ser necessária uma biópsia do intestino delgado para confirmar a presença de lesões na mucosa intestinal.

Qual é o tratamento da doença celíaca?

O único tratamento eficaz para a doença celíaca é seguir uma dieta sem glúten por toda a vida. Isso significa que você deve excluir totalmente o glúten da alimentação e evitar qualquer contaminação por essa proteína.

Quais são as complicações da doença celíaca?

Se você não tratar adequadamente, a doença celíaca pode levar a complicações graves, como úlceras intestinais, linfoma intestinal, câncer de intestino, doenças autoimunes (como diabetes tipo 1, tireoidite de Hashimoto, artrite reumatoide, etc.), etc.

Conclusão

A dieta sem glúten é essencial para os pacientes com doença celíaca ou com sensibilidade não celíaca ao glúten. Ela ajuda a controlar a doença e melhorar os prognósticos e cuidados da condição celíaca. No entanto, ela também apresenta alguns desafios e requer alguns cuidados para garantir uma alimentação saudável e equilibrada. Por isso, é importante que consulte um nutricionista para elaborar um plano alimentar adequado às suas necessidades e preferências. Além disso, é importante buscar apoio de familiares, amigos e grupos de celíacos para enfrentar as dificuldades e aproveitar as oportunidades de uma vida sem glúten.

Similar Posts